segunda-feira, junho 29, 2015

Barbearia acusada de discriminação pela CML

A Câmara de Lisboa apresentou queixa à Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género contra uma barbearia lisboeta, a Figaro’s Barbershop, na Rua do Alecrim, que proíbe a entrada a mulheres, embora no cartaz anuncie expressamente que podem entrar cães, apesar de o responsável do estabelecimento negar fazer essa restrição.

A apresentação da queixa surgiu na sequência do “descontentamento de muitas pessoas” em relação ao anúncio de impedimento à entrada das mulheres na barbearia lisboeta, anunciou um vereador. “No exercício diário da sua natividade o referido estabelecimento proíbe exclusivamente a entrada de pessoas do sexo feminino”, lê-se na queixa apresentada pela Câmara de Lisboa à Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género. O anúncio à porta da barbearia assinala que é permitida a entrada a homens e a cães, mas não a mulheres.
Um responsável pela Figaro’s Barbershop afirmou à agência Lusa que “a barbearia não proíbe a entrada a mulheres”, explicando que “o que acontece é que não existem serviços para senhoras”.

O vereador considerou, no entanto, tratar-se de “uma atitude discriminatória” que vai contra os princípios de igualdade, mas admitiu que a Câmara de Lisboa apenas tem competência para averiguar se o estabelecimento está devidamente licenciado para exercer a atividade ao público, pelo que terá que ser a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género a “promover as diligências que considere pertinentes e actuar em conformidade”.

Na queixa apresentada pela autarquia lê-se ainda que “tal prática consubstancia uma atitude discriminatória em função do sexo, configurando eventualmente uma violação do disposto na lei nº. 14/2008, de 12 de Marco, a qual proíbe e sanciona a discriminação em função do sexo no acesso a bens e serviços e seu fornecimento”. 
Fotos Beco das Barrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário